Orgânico, genuíno, ousado.
Um estilo. Uma vida.

Saber mais

Pilates Online

Pilates é postura em movimento. É o nosso corpo, com a sua forma, a sua estrutura adquirindo diferentes posturas em movimento.

Há um trabalho de força e um trabalho de resistência que nos faz, também, transpirar e aumentar o nosso ritmo cardíaco, mas o seu foco não é esse.

O seu foco é garantir a mobilidade da coluna. É torná-la e mantê-la jovem. É potenciar a hidratação das articulações minimizando processos artrosicos.

Pilates não é sobre construir corpos numa postura rígida, estanque. Pilates procura a variabilidade, procura dar mobilidade a todas as curvaturas da coluna rígidas que o ser humano apresenta decorrente da inatividade e da constante rotina de movimento corporal dentro da padrão das atividades da vida diária.

Queremos uma coluna dorsal capaz de cifosar e arquear. Queremos dar mobilidade às articulações que precisam de mobilidade e estabilidade às articulações que precisam de congruência.

Queremos uma coluna forte e flexível. Queremos um corpo forte e flexível. Queremos um corpo livre.

Uma avaliação postural permite formular muitas hipóteses em torno do que o corpo precisa de trabalhar.

Em movimento, é um desafio muito maior para o observador pois é durante o movimento que o corpo se expressa e usa todas as estratégias que tem disponíveis no seu corpo para desempenhar uma ação, uma função.

Em cada sessão, quando o corpo vai para o tapete, é avaliada mais do que curvatura da coluna. São avaliados os padrões de movimento, ou seja, mecanismos que o cérebro tem gravado para chegar a um determinado objectivo.

À medida que vamos retirando pontos de apoio do nosso corpo no tapete, à medida que vamos limitando o contacto com o tapete a pontas dos pés e a mãos, mais o corpo nos mostrará as suas potencialidades e as suas debilidades. São várias as formas de desafiarmos o corpo no tapete e observarmos a forma como se expressa.

Pilates é o trabalho de todo o corpo a partir do core.

O corpo no tapete não se segmenta. Não trabalhamos hoje pernas e amanhã braços e depois barriga. Isso não é Pilates.

As pernas serão potencialmente mais fortes quanto mais forte o centro estiver. Os braços serão potencialmente mais fortes quando mais forte o centro estiver. Não é através do volume que vemos a sua capacidade. É através da função, da maior capacidade com que desempenhamos as actividades do dia-a-dia.

O nosso dia-a-dia pede um corpo por inteiro. O nosso dia-a-dia pede um centro firme, flexível que permita todas as amplitudes necessárias para o desempenho das actividades que temos pela frente. O nosso dia-a-dia pede conexão com o nosso corpo. O nosso dia-a-dia pede poder pessoal. O nosso dia-a-dia pede consciência e controlo do nosso corpo, autoconhecimento do nosso corpo. O nosso dia-a-dia pede que consigamos interpretar a linguagem do nosso corpo. O nosso dia-a-dia pede relação com o presente.

O nosso dia-a-dia pede relação com o corpo.

Precisas de ajuda?

Fala Comigo

Recebe artigos fresquinhos do blog

Subscreve a Newsletter