Orgânico, genuíno, ousado.
Um estilo. Uma vida.

Saber mais

Sedução e Linguagem Corporal

A sedução é uma expressão do nosso feminino. Não é algo racional, ao contrário da manipulação. Não é algo pensado, lógico, ou seja, masculino, yang. A sedução parte da nossa intuição. É uma linguagem corporal.

Tenho um fascínio pela sedução. A forma como o nosso corpo fala, não só vista na dança e no movimento mas, também na forma como nos apresentamos na nossa vida em diferentes contextos e é incrível ver como nos potencia.

Quando ouvimos a palavra sedução geram-se uma série de mal entendidos. A palavra tem vindo a ser sexualizada tantas vezes o que nos reduz a capacidade para vê-la como uma ferramenta positiva porque a consideramos uma forma de influenciar menos honesta e aceitável.

Se olharmos a questões de género, os homens têm maior permissão, liberdade para seduzir do que as mulheres. Quando é vista numa mulher é considerada ligada a aspectos de subida na carreira por meios sexuais ou ser algo não profissional.

Vejamos outro prisma. Muitas pessoas associam o dinheiro a algo mau. Mas dinheiro por si só não pode ser mau. Ele dá-nos poder. Poder pode ser usado para o bem ou para o mal, é um facto. O que o irá determinar se é bom ou mau é o que cada um é no seu interior, ou seja, quais os seus valores.

A sedução é exatamente o mesmo. Ela vem do nosso ADN e da escolha do que queremos fazer com ela. A sedução pode ser clássica em adição com o senso de cada um de lealdade e integridade.

Na realidade, sedução é um poder intocável em cada um de nós em que se escolhe não usá-la mas, em simultâneo, se quer desencadear.

A sedução é sobre charme, conexão, vulnerabilidade, orgulho, auto-confiança e atração.

Se pegássemos na sedução e a organizassemos colocando numa fórmula, que parcelas ela teria?

Primeiro: desejo. Significa saber o que vocês querem e vos faz ter a disposição para ir atrás de. Manter o talvez vivo é a habilidade de apresentar uma série de potenciais possibilidades alimentando-as com o desejo. É uma questão de aprender onde estão os botões emocionais no corpo e depois accioná-los. Onde há um real desejo, mesmo que este esteja escondido, é possível atraí-lo para fora. Mas, para tal, é preciso ter consciência do que a outra pessoa está a sentir falta para que lhe possamos dar tal. E se for feito corretamente, é muito difícil ouvir um “não”.

Segundo: Confiança. Auto-confiança é muito importante para a capacidade de seduzir. A nossa própria imagem é construída na infância e é profundamente afectada pelo meio em que estamos inseridos.

Uma curiosidade interessante é o facto de, por exemplo, os cubanos não serem afectados pelas imagens dos media. Em vez disso, a sua própria imagem é formada pela esplêndida forma como o meio em que estão os fazem sentir e pela forma como são amados em casa. Como resultado de tudo isto, os cubanos crescem com um sentimento intenso de orgulho e auto-confiança não importando o tipo de corpo que tenham. E esta auto-confiança vai-se manifestar na forma como se apresentam na sua vida e na forma como são sucedidos.

Terceiro: linguagem corporal. Quando se anda nas ruas de Havana, os homens mandam piropos como linda ou preciosa. E as mulheres respondem acentuando a curvatura lombar e a forma sensual como caminham porque sabem que estão a chamar a atenção e a ser admiradas e gostam disso.

Quem não gosta de se sentir desejado?

Isto torna tudo bastante simples para seduzir e ser seduzido porque sabem o que a outra pessoa está a sentir. A sedução pode surgir no tom da voz, na forma como se olha, naquilo que se diz e na forma como se diz, e por vezes, através de um pequeno toque.

A linguagem corporal é muito importante para a sedução porque comunica à outra pessoa o que nós queremos.

Quarto: Excitação

Para efetivamente seduzir alguém tem que haver uma activação da excitação, acordando no outro o desejo de nos dar aquilo que nós queremos. Mas, primeiro é necessário conectar e interagir com a outra pessoa. Senão, como lhe haveremos de chegar ao coração? Para as sedução realmente funcionar é preciso dar a total atenção no momento.

Uma ausência de medo de falhar é uma profunda e potente capacidade encontrada nas pessoas mais sedutoras. Mas isto acontece porque desenvolvem a sua intuição tão bem que conseguem perfeitamente distinguir um não de um não que se tornará talvez.

A sedução não é uma ciência mas, sim, uma arte. E é aqui que está a beleza, porque a arte parte do coração. E, como toda a arte, deve exteriorizada por estar carregada de auto-expressão.

A sedução está relacionada com a auto-confiança e a auto-confiança está relacionada com o sucesso em várias áreas da nossa vida.

Um mestre em sedução pode ter tudo que quer na vida.

Faz sentido reprimi-la, anulá-la, não a trabalhar? Faz sentido não aceder ao nosso lado feminino, ao nosso lado intuitivo, à nossa arte, ao nosso yin?

Acredito que não.

Desbloqueamos a sedução através do acesso ao corpo em sessões de Corpo no Tapete.

Precisas de ajuda?

Fala Comigo

Recebe artigos fresquinhos do blog

Subscreve a Newsletter